O valor da biodiversidade microbiana em solos cultivados

Ecossistema do solo

Biodiversidade é a variedade de organismos encontrados em um determinado ecossistema. Ou seja, o número de espécies diferentes e a abundância de cada uma delas compõem a biodiversidade de um local.

Portanto, um ambiente com alta biodiversidade é mais que apenas um ecossistema com muitos organismos, é também um local com equilíbrio no número de indivíduos de cada espécie.

Neste texto, explicamos a importância da biodiversidade microbiana nos solos cultivados e como fazer para melhorar o conhecimento a respeito deste ambiente. Confira:

Por que a biodiversidade microbiana é importante?

A biodiversidade de um ecossistema é fundamental em vários aspectos. Em primeiro lugar, existe uma relação entre a biodiversidade de um local e a sua resiliência, ou seja, ambientes mais diversos tendem a ser mais resistentes.

Isto foi demonstrado por Maestre e colaboradores (2012) em um estudo da diversidade global de plantas em solos áridos. Além disso, ecossistemas mais diversos geralmente também se mostram mais produtivos.

O aumento da biodiversidade proporciona mais funcionalidades para um ecossistema, visto que a presença de organismos diferentes resulta em uma melhor versatilidade em relação aos processos que ocorrem neste local.

Por último, este aumento da funcionalidade associado com a presença de uma maior variedade de organismos, resulta em uma maior oferta de serviços ecossistêmicos. Os serviços ecossistêmicos são todos aqueles que o ambiente fornece aos humanos e são essenciais para a sobrevivência da nossa espécie.

A função da biodiversidade nos solos cultivados

Além da importância nos ecossistemas em geral, a biodiversidade também apresenta outros benefícios específicos para os agroecossistemas. Solos mais diversos, por exemplo, aumentam a resistência dos cultivos ao estresse ambiental.

Além disso, o aumento da biodiversidade também ajuda a desenvolver a produtividade agrícola, visto que aumenta as funcionalidades que o solo realiza para a lavoura (fertilidade, resistência às pragas e promoção de crescimento vegetal).

Por outro lado, solos cultivados tendem a perder biodiversidade. Ainda que isso dependa do regime produtivo adotado, é algo que certamente ocorrerá, em menor ou maior grau, fazendo com que o produtor perca muitos serviços ecossistêmicos do solo.

Aliás, o reconhecimento desse fato nas últimas décadas fez crescer o interesse pela biodiversidade microbiana do solo, além da adoção de práticas agrícolas mais conservacionistas, que, em muitos aspectos, buscam minimizar perdas de biodiversidade.

Como podemos conhecer a biodiversidade do solo?

Considerando que a maioria dos seres que habitam o solo são micro-organismos, a melhor ferramenta para conhecer a biodiversidade de um terreno é a análise genética.

Com o uso da ferramenta AgriAnalysis, desenvolvida pela Biome4all, é possível estimar e descrever a biodiversidade de um solo em termos taxonômicos e funcionais.

Segundo o Dr. André Oliveira de Souza Lima, cofundador da Biome4All, a informação obtida ajuda a escolher práticas agrícolas que minimizem as perdas de diversidade do solo, decisão fundamental para a manutenção da produtividade a longo prazo.

O tipo de regime produtivo e as escolhas de fertilizantes, defensivos e bioinsumos, assim como suas respectivas quantidades, são apenas alguns exemplos de práticas agrícolas que influenciam a biodiversidade e podem ser gerenciadas com base no conhecimento da microbiota de um solo.

Para saber mais sobre o produto e como ele pode te ajudar, entre em contato conosco!

Texto: Prof. Marcus Adonai Castro da Silva — microbiologista e cofundador da Biome4all