Três fatores que melhoram a microbiota do solo

Fatores que influenciam a microbiota

Quando pensamos em um manejo biológico do solo, seja ele por meio do uso de insumos biológicos ou do aproveitamento do seu potencial natural, é necessário compreender os fatores que influenciam o crescimento e a atividade dos micro-organismos. Com isso, o sucesso do manejo está, em grande parte, atrelado à possibilidade desses organismos se estabelecerem e serem capazes de se desenvolver. Por outro lado, podemos não ter sucesso no nosso manejo biológico simplesmente porque falhamos em garantir condições mínimas necessárias ao desenvolvimento de organismos benéficos.

Assim, apresento a seguir alguns dos principais fatores ambientais que influenciam o crescimento microbiano nos solos.

A cobertura vegetal

Observamos a influência da cobertura vegetal sobre o solo, por exemplo, quando comparamos áreas naturais com cultivadas. Também há diferenças entre áreas cultivadas com duas espécies diferentes de vegetais, ou mesmo quando comparamos solos que apresentam cultivares diferentes da mesma espécie.

A influência da cobertura vegetal se manifesta nos tipos de micro-organismos que observamos em um solo, produzindo comunidades microbianas distintas. Porém, também podemos observar diferenças na atividade dos micro-organismos e nas funções que eles realizam. Com isso, quando fazemos um manejo biológico, queremos que os micro-organismos realizem certas funções benéficas como por exemplo, disponibilizar nutrientes para os vegetais ou protegê-los contra diferentes pragas agrícolas.

Como as plantas influenciam os micro-organismos que vivem no solo? Com a liberação de moléculas orgânicas através das raízes, que atraem alguns organismos, que as utilizam como alimento. Por outro lado, estas mesmas moléculas podem repelir outros organismos, pois são tóxicas a eles. Os tipos de moléculas produzidas mudam em função da espécie vegetal e cultivar. Além disso, as quantidades liberadas variam em função do estágio fenológico, resultando em diferenças nas comunidades microbianas. Naturalmente, estes efeitos são mais pronunciados no solo rizosférico do que em solo não rizosférico.

A matéria orgânica

A quantidade de matéria orgânica é um dos principais fatores que determinam a fertilidade do solo e que influenciam a sua microbiota. A maioria dos micro-organismos que vive no solo depende da matéria orgânica para obter energia e se multiplicar. Além disso, ela funciona como um repositório de vários nutrientes que são liberados durante a sua mineralização. Logo, a atividade microbiana relaciona-se diretamente com o teor de matéria orgânica do solo.

A composição da matéria orgânico do solo é bastante complexa. Certas moléculas, como a celulose e a lignina, são de difícil degradação e apenas poucos micro-organismos são capazes de utilizá-las. A biota do solo assimila mais facilmente moléculas mais simples, como a glicose. Porém, entre estas moléculas simples há uma grande diversidade de compostos. Como os micro-organismos diferentes possuem diferentes capacidades bioquímicas, a matéria orgânica também influencia a composição da microbiota do solo

O pH do solo

O último fator que quero abordar é o pH do solo. Como nos outros fatores, o pH influencia tanto a atividade quanto a composição de espécies microbiana. Com isso, o efeito direto se dá porque cada micro-organismo prefere crescer em uma faixa bem específica de pH. Geralmente, os micro-organismos gostam de valores neutros, mas alguns grupos preferem solos mais ácidos ou alcalinos. Os fungos, por exemplo, geralmente preferem solos ligeiramente ácidos.

Indiretamente, o pH afeta a disponibilidade de vários nutrientes para os micro-organismos. Elementos como o ferro e o zinco, por exemplo, estão mais acessíveis aos micro-organismos em solos ácidos. Quando em solos neutros ou alcalinos, estes elementos ficam em um estado menos solúvel, que os micro-organismos têm dificuldades de absorver. Algumas espécies microbianas possuem mecanismos que permitem que elas absorvam estas formas menos solúveis. Isso faz com que estas espécies tenham mais sucesso em colonizar certos tipos de solos.

Fique atento às necessidades dos micro-organismos

Os micro-organismos são trabalhadores potentes que podem auxiliar enormemente a agricultura. Porém, não podemos nos esquecer que eles são seres vivos como nós, que precisam de condições apropriadas para se desenvolver. Conhecendo os micro-organismos e as suas necessidades, estaremos mais aptos a fazer um bom uso de biosinsumos e de outros produtos ou práticas agrícolas que se baseiam em processos biológicos para beneficiar a nossa lavoura. Esse conhecimento sobre a microbiota dos solos, é resultado da análise genética realizada pela Biome4all.

Dr. Marcus Adonai Castro da Silva – cofundador da Biome4all